quarta-feira, 23 de setembro de 2009

Interveniente político surpreendente (ou talvez não...)

Algum tempo atrás, assistia a uma entrevista de Mário Soares, ex-presidente da República de Portugal, histórico socialista e um dos maiores ativistas no derrube do regime político autoritário que governou o país por décadas, com Jean Daniel, um jornalista judaico-francês, fundador do semanário Le Nouvel Observateur, que, na sua ideologia, questiona seriamente o papel da religião na moralidade moderna.

A certo ponto da conversa, falou-se desse momento histórico que referi atrás - a queda do fascismo em Portugal - e de um interessantíssimo pormenor que só recentemente a História registou oficialmente: as conversas entre Henry Kissinger, secretário de estado americano de então e Franco, o ditador no poder em Espanha. Discutia-se a possibilidade da ex-URSS (comunista) assumir o controlo de Portugal e de como os EUA se preparavam para esse fato.

Espantosamente, Mário Soares revela a existência de documentos que comprovam o teor dessas conversas na qual, um surpreendente - ou talvez não... - interveniente é trazido à cena politico-estratégica - se não declaradamente, pelo menos nos bastidores!

Veja aqui de seguida, num excerto da entrevista, de quem se trata.

video

Não! Por muito que se queira esconder, o Vaticano é muito mais do que um estado religioso; trata-se sim, de um dos principais agentes políticos da cena mundial - desde há séculos e até hoje.

Não se esqueça que a Bíblia profetiza que essa influência irá crescer cada vez mais à medida que nos aproximamos das cenas finais deste mundo.

Por isso, não se deixe surpreender ou amedrontar; apenas esteja atento e vigilante, conforme o conselho bíblico: 'vigiai, pois, porque não sabeis quando virá o senhor da casa; se à tarde, se à meia-noite, se ao cantar do galo, se pela manhã. Para que, vindo de improviso, não vos ache dormindo. E as coisas que vos digo, digo-as a todos: vigiai' (Marcos 13:35-37).

Fonte - O Tempo Final


Related Posts with Thumbnails